Work in progress/ Obra em curso 4


"(...) Perguntou-lhe se não ia deixá-lo entrar. Oliver disse que sim, desviando-se para Tony poder entrar. Estava a fazer palavras cruzadas. A luz da cozinha era melhor do que a da sala ou a do quarto, e além do mais aquela era a divisão mais quente da casa. Tony olhou para o velho fogão a lenha e ouviu o som familiar do crepitar das chamas, os toros de madeira incandescentes a repousar numa cama de cinzas.
‘Por que não me avisaste que vinhas?’"


Sem comentários:

Publicar um comentário