WIP: O General



             — É verdade que o General é invulnerável? Como... uma máquina? — interrompeu Karuna, sentindo-se cada vez mais desconfortável com a tensão reinante.
              Sim, era verdade, mas não como uma máquina, salientou Berserker.
              — Foda-se — exclamou Shadow, — não me digas que acreditas nessas tretas...
              — Uma vez — disse Berserker, ignorando Shadow ostensivamente, — houve um ataque a uma das nossas bases do outro lado do Arion, a alguns quilómetros a leste do quartel-general. Um HKG iludiu a nossa vigilância e comprometeu as instalações. O General ordenou que nos dividíssemos em grupos de três e abandonássemos o edifício. Calhou que eu fugisse com ele e com um novato chamado Alfonso Klein, nome de código Cobra. Ora, não sei se foi coincidência ou se o HKG tinha como alvo prioritário o General, o certo é que veio atrás de nós e encurralou-nos nas ruínas de uma velha fábrica de produtos químicos. O General dirigiu-se para a máquina, disparando uma rajada de metralhadora contra ela, enquanto nos mandava fugir e reagrupar com o resto dos nossos camaradas na base Delta, trinta quilómetros para sul. O HKG disparou um único projéctil à queima-roupa, em cheio no peito do General. Eu e o Cobra fugimos para o telhado da fábrica e vimo-nos sem maneira de descer, pelo menos, sem partirmos uns quantos ossos. O HKG encontrou-nos e aproximou-se de nós lentamente, em zig-zag, como um gato a brincar com um rato antes de o matar. Deixei cair a minha metralhadora e abri os braços, desafiando a máquina, querendo mostrar-lhe que nós, os humanos, não temos medo de morrer. O Cobra... pobre Alfonso, entrou em pânico e saltou do telhado. Mais tarde, encontrámo-lo empalado numa viga de aço. Tivesse ele aterrado meio metro ao lado e talvez se tivesse safado com uma perna partida....
              — O que aconteceu depois? —, perguntou Doggo, perante o silêncio prolongado de Berserker.
              — Deixa-me adivinhar —, disse Shadow, sarcasticamente, — o General apareceu do nada, deu cabo do HKG e salvou-te a vida! Foda-se, eu já ouvi trinta versões diferentes dessa história... Isso são merdas que inventam para as pessoas se sentirem inspiradas pela figura do líder destemido, como se ele fosse uma espécie de Messias que nos vai libertar do Inferno na Terra...
              O General, continuou Berserker, calmamente, apareceu por detrás do HKG e arrancou-lhe aquilo a que se pode chamar de cabeça, salvando-lhe a vida. Não lhe interessava quantas versões existiam daquela história, aquela era a única verdadeira, e por mais anos que vivesse nunca se iria esquecer do sorriso na cara do General, com o sub-zero feito em farrapos na zona do peito, e do sangue que o cobria, o seu próprio sangue. Tudo o que conseguira balbuciar fora: “Pensei que tivesse morrido.” “Sim”, dissera o General, “mas já me sinto melhor.”

Sem comentários:

Publicar um comentário