Ragma

          Vem aqui, meu precioso animal, aninha-te junto a mim. Quero sentir o teu peso sobre o meu corpo, a cadência do teu peito enquanto respiras, o teu fôlego quente no meu pescoço. Fecho os olhos e adormeço. O teu cheiro insinua-se nos meus sonhos. Vejo plantas carnívoras caminhando debaixo de sóis gémeos em paisagens extraterrenas. Então desperto e vejo-te, debruçada sobre mim, a devorar as minhas entranhas.
*
          Come here, my precious animal, draw close to me. I want to feel your weight upon my body, the cadence of your chest as you breathe, your warm breath on my neck. I close my eyes and fall asleep. Your smell finds its way into my dreams. I see meat eating plants walking under twin suns in alien landscapes. Then I awake to see you, leaning over me, devouring my bowels.

Sem comentários:

Publicar um comentário