Siobhan

         "(...) ‘Espero não estar a aborrecê-lo, Sr. Dornbusch’, desculpou-se ela, acendendo um cigarro, expelindo o fumo com uma expressão de prazer.
              ‘Não, não está’, respondi eu, o mais sinceramente possível.
             Os nossos amigos em comum, o psicanalista Philip Breitman e a sua esposa, Felicia, tinham-nos convidado para passar o fim-de-semana na quinta que possuíam nos arredores de Saint Paul. Tanto os anfitriões como a maioria dos convivas tinham ido dar um passeio a cavalo pela propriedade. Planeara ficar à beira da piscina na companhia de uma bebida gelada e um livro que andava a evitar ser lido por mim há demasiado tempo. Pelos vistos, Elina Lowensohn também partilhava da minha inépcia nas artes equestres, pedindo permissão para se juntar a mim. Sabendo que era pintora, perguntara-lhe se sempre tinha sido artista, que não, que exercera psiquiatria durante muitos anos. Daí até à narração do caso de Ian Fallon fora um nada. O maldito livro conseguira uma vez mais protelar ser lido."

Sem comentários:

Publicar um comentário