Work in progress III

          "(...) Já não estava no mesmo plano de existência, daí não ter empatia nenhuma por aquelas pobres criaturas. Eram fantasmas como eu sem o saberem, insistindo em habitar um espaço que já não era o seu num tempo que não lhes pertencia, mortos-vivos a viverem em casas emprestadas e a deslocarem-se em veículos alugados. Viviam numa comunidade planetária onde nunca deixaria de haver violência, detenções ilegais, julgamentos sumários, guerras civis, torturas, programas de rendição de prisioneiros, exploração, desemprego, miséria, perseguições e pena capital por mais que gritassem até ficarem roucos. Os seus inimigos eram moinhos de vento que jamais seriam derrotados." 
*
          "(...) I wasn't in the same plane of existence anymore, therefore I had little empathy for those poor creatures. They were ghosts like me without realizing it, persisting to live in a space which wasn't theirs in a time that did not belong to them, the undead living in borrowed houses and moving around in rented vehicles. They lived in a planetary comunity where there always be violence, illegal arrests, unlawful trials, civil wars, torture, rendition programmes, exploitation, unemployment, poverty, persecutions and capital punishment as much as they yelled until they throats bled. Their enemies were windmills that would never be defeated." 

Sem comentários:

Publicar um comentário